Permanência na Educação Superior a distância

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.5944/ried.20.1.16808

Palabras clave:

educação a distância, educação superior, evasão, permanência.

Resumen

A temática da permanência estudantil na Educação Superior configura-se, ainda, como temática desafiadora, tanto na modalidade presencial como a distância. Este artigo apresenta os resultados de uma investigação sistematizados como sugestões de estratégias e ações para auxiliar a promoção da permanência. Usamos como referencial teórico o trabalho de Spady (1971), Pascarella (1985), Ethington (1990), Tinto (1997);, García Aretio (2002), Tinto & Pusser (2006) e Cabrera et al (2006). A metodologia utilizada foi de caráter quali-quantitativo, tendo como objetivo verificar as variáveis de maior relevância para a permanência na Educação a Distância (EaD) às variáveis de maior relevância para a permanência na Educação a Distância (EaD) levando em consideração dois fatores: Dedicação do Estudante e Qualidade do Curso. Em geral, estudos encontrados na literatura enfocam a opinião de docentes e gestores em relação à evasão dos estudantes. Como diferencial esta investigação teve por objetivo dar voz ao discente e compreender o que faz ele/ela permanecer nos estudos. Os resultados da análise apontam que os indicadores considerados pelos estudantes, como mais relevantes para sua permanência são: cumprimento do programa acadêmico; técnicas e hábitos de estudo; atividades nas disciplinas e; promoção de discussões em fóruns e demais espaços de comunicação. 

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Pricila Kohls dos Santos, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Educação do PPGEDU/PUCRS, integrante do ARGOS (Grupo de Pesquisa em EAD da PUCRS). Participante do Projeto Alfa GUIA (Gestão Universitária Integral do Abandono). Mestre em Educação pelo PPGEDU/PUCRS, possui graduação em Pedagogia Multimeios e Informática Educativa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atualmente é assessora pedagógica em EAD e prestadora de serviços e consultoria em Tecnologia Educacional e EAD. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Tecnologias Digitais na Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação a distância, ambientes de aprendizagem, informática na educação, formação de professores, design instrucional e tutoria online.

Contacto: pricila.kohls@acad.pucrs.br

Lucia Maria Martins Giraffa, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pós-Doutorado na Universidade do Texas (Austin) no College of Education, Bolsista CAPES, Doutorado em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Especialização em Análise de Sistemas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, graduação em Licenciatura Curta Em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Citas

Almazán, O. M. (2015). Evaluación de la modalidad de interacción de la tutoría y los efectos en logro académico en entornos en línea. RIED. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, 18(1), 231.

Aretio, G. L. (2002). La educación a distancia: de la teoría a la práctica. Barcelona: Ariel.

Aretio, G. (2014). Bases, mediaciones y futuro de la educación a distancia en la sociedad digital. Editorial Síntesis.

Bardin, L. (2012). Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Cabrera, A. F., Nora, A., Castañeda, M. B. (1992). The role of finances in the persistence process: A structural model. Research in Higher Education, 33(5), 571-593.

Cabrera, L., Bethencourt, J. T., Pérez, P. A., & Afonso, M. G. (2006). El problema del abandono de los estudios universitarios. Relieve, 12(2), 171-203.

Ethington, C. A. (1990). A psychological model of student persistence. Research in Higher Education, 31(3), 279-293.

Flick, U. (2013). Qualidade na pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed.

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E. & Tatham, R. L. (2013). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman Editora.

Himmel, E. (2002). Modelos de análisis de la deserción estudiantil en la educación superior. Revista calidad de la educación, 17, 91-108.

Lakatos, E. M., Marconi, M. A. (2014). Metodologia do Trabalho Científico: Procedimentos Básicos, Pesquisa Bibliográfica, Projeto e Relatório, Publicações e Trabalhos Científicos. São Paulo: Atlas.

Litto, F. M., FORMIGA, M. (2012). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson.

Malhotra, N. K. (2012). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman Editora.

Martinez, M. (2003). High attrition rates in e-learning: challenges, predictors, and solutions. The Elearning Developers’ Journal, 14. Recuperado de: http://www.elearningguild.com/pdf/2/071403MGT-L.pdf

Moncada Mora, L. F. (2014). La integración académica de los estudiantes universitarios como factor determinante del abandono de corto plazo. Un análisis en el Sistema de Educación Superior a Distancia del Ecuador. RIED. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, 17(2), 173-196.

Moore, M., Kearsley, G. (2012). Educação a Distância: Uma visa integrada. São Paulo: Cengage Learning.

Palloff, R. M., Pratt, K. (2004). O aluno virtual. Porto Alegre: Artmed.

Pascarella, E. T. (1985). Students' affective development within the college environment. The Journal of Higher Education, 56(6), 640-663.

Ristoff, D. (1999). Universidade em foco: reflexões sobre a educação superior. Florianópolis: Insular.

Ristoff, D. (2012). A trajetória dos cursos de graduação a distância. Associação Brasileira de Educação a Distância – ABED. Recuperado de: http://www.abed.org.br/congresso2012/programa.asp.

Spady, W. G. (1971). Dropouts from higher education: Toward an empirical model. Interchange, 2(3), 38-62.

Tinto, V. (1997). Classrooms as communities: Exploring the educational character of student persistence. Journal of higher education, 68(6), 599-623.

Tinto, V. (2012). Completing College: rethinking institutional action. London: Chicago Press.

Tinto, V., Pusser, B. (2006). Moving from theory to action: Building a model of institutional action for student success. National Postsecondary Education Cooperative, 1-51. Recuperado de: http://web.ewu.edu/groups/academicaffairs/IR/NPEC_5_Tinto_Pusser_Report.pdf

Publicado

2017-01-02

Cómo citar

Kohls dos Santos, P., & Martins Giraffa, L. M. (2017). Permanência na Educação Superior a distância. RIED. Revista Iberoamericana De Educación a Distancia, 20(1), 305–321. https://doi.org/10.5944/ried.20.1.16808