Políticas educacionais e formação continuada de professores em educação em educação especial na modalidade a distância: análise das publicações na base de dados SCIELO

Pâmella Stefânia Picinin de Mesquita, Sandra Eli Sartoreto de Oliveira Martins, Rosimar Bortoline Poker

Resumen


Este artigo tem por finalidade apresentar os resultados do levantamento bibliográfico de estudos brasileiros sobre a formação continuada de professores em educação especial, na modalidade a distância (EAD). A motivação desse estudo depreendeu da observância do desenvolvimento de políticas públicas da Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, do Ministério da Educação - dirigidas à oferta de propostas de formação continuada em educação especial na modalidade EAD. O estudo visa demonstrar uma análise das produções bibliográficas disponíveis na base de dados SciELO, em periódicos na área de educação, a partir dos seguintes descritores: “formação de professores e educação especial”, “formação de professores e políticas educacionais” “formação de professores e educação a distância”. Os estudos selecionados pertenciam aos estratos A1, A2, B1 e B2, de acordo com o sistema de classificação de periódicos Web Qualis. No processo de busca, identificou-se 117 artigos, dos quais 61 foram descartados por não atenderem aos requesitos estipulados para a coleta. Os dados indicaram que a modalidade de educação a distância, embora seja adotada pelo Ministério da Educação como política de gestão de recursos na formação continuada de professores em educação especial, ainda tem pouco impacto na literatura produzida nessa área.


Palabras clave


formação de docentes em educação especial; política educacional; educação especial; busca documental em periódico; educação a distância.

Texto completo:

PDF (Português (Portugal))

Referencias


Almeida, M. E. B. (2013). Currículo, avaliação e acompanhamento na Educação a Distância. In: D. R. S. Mill; N. M. Pimentel, (Org.). Educação a distância: desafios contemporâneos (89-104). São Carlos: EdUFSCar.

André, M.; Simões, R.H.S.; Carvalho, Janete M. e Brzezinski, I. (1999). Estado da arte da formação de professores no Brasil. Educ. Soc., vol.20, n.68, 301-309.

Azevedo, J. M. L. de. (1997). A educação como política pública. Campinas: Autores Associados.

Bardy, L. R.; Hayashi, M. C. P. I.; Schlunzen, E. T. M. and Seabra J., Manoel O.. (2013). Objetos de Aprendizagem como recurso pedagógico em contextos inclusivos: subsídios para a formação de professores a distância. Rev. bras. educ. espec., vol.19, n.2, 273-288.

Barreto, R. G. (2003). Tecnologias na formação de professores: o discurso do MEC. Educ. Pesqui, vol. 29, n.2, 271-286.

Brasil. Governo Federal. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05 out. Recuperado de http://www.trt02.gov.br/geral/tribunal2/legis/cf88.

______. (2006a). Decreto nº 5.800, de 8 de junho de 2006. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil – UAB. Consulta em 24 de jun 2012. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/decreto/d5800.htm.

______. (2011). Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm#art11 .

_______. Ministério da Educação. (2008a). Conferência Nacional de Educação Básica (CONEB), Brasília, DF: MEC.

_______. Ministério da Educação. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB nº 9394/96 de 20 de dezembro de 1996.

_______. Ministério da Educação. (2013). Programas do MEC voltados à formação de professores. Recuperado de http://portal.mec.gov.br.

_______. Ministério da Educação. (2009). Resolução CNE/CEB nº 4, de 2 de outubro de 2009.

_______.(2008b). Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf.

______. Conselho Nacional de Educação. (2006b). Resolução nº 1, de 15 de maio de 2006– Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, DF.

Braun, P.; Vianna, M. M. (2011). Atendimento Educacional Especializado, Sala de Recursos Multifuncional e Plano Individualizado: desdobramentos de um fazer pedagógico. In: M. D. Plestch,; A. Damasceno (Orgs). Educação Especial e Inclusão Escolar: reflexões sobre o fazer pedagógico (23-34). Rio de Janeiro: Ed. da UFRRJ.

Brito, C.; Leite, L.P.; Martins, S.E.S.O. (2014). In. Martins, S.E.S.O.; Santarosa, L. M.C.; Rodrigues, D. A.; Heredero, E.S. (Org.). Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) na Educação Especial. (25-50). 1. ed. Marília: Oficina Universitária, São Paulo: Cultura Acadêmica/ABEU.

Bueno, J. G. S. (1998). Crianças com necessidades educativas especiais, política educacional e a formação de professores: generalista ou especialista? 21 Reunião Anual da ANPEd. Caxambu.

Bueno, J. G. S.; Meletti, S. M. F. (2013). Políticas públicas, escolarização de alunos com deficiência e a pesquisa educacional. 1 ed. Araraquara- SP: Junqueira & Marin.

Dourado, L. F.. (2008). Políticas e gestão da educação superior a distância: novos marcos regulatórios? Educ. Soc., vol.29, n.104, 891-917.

Ferreira, M. C. C. (2004). Formação de Professores. In: E. G. Mendes, M. A. Almeida e L. C. A Wiliams (Orgs). Temas em Educação Especial: Tendências Atuais. São Carlos: Edufscar.

Gaio, R.; Meneghetti, R. K. (Org.). (2004). Caminhos pedagógicos da educação especial. Petrópolis, RJ: Vozes.

Garcia, R. M. C. (2013). Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Rev. Bras. Educ., vol.18, n.52, 101-119.

Gatti, B. A. (2008). Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Rev. Bras. Educ., vol.13, n.37, 57-70.

Gatti, B. A.; Barreto, E. S. de S.; André, M. E. D. de A. (2011). Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO.

Heredero, E. S, E.; Poker, R. B.; Martins, S. E. S. de O. (2013). Políticas em la formación del profesorado desde la perspectiva de la educación inclusiva en Brasil y España. In: E. S, E. Heredero; C. R. M.Giroto; S. E. S. de O Martins, (Org). La formación del profesorado para la atención a la diversidad en Brasil y España. Alcalá de Henares: Servicio de Publicaciones de la UAH.

Jesus, D. M. de; Barreto, M. A. Santos. C. e Gonçalves, A. F. da S.. (2011). A formação do professor olhada no/pelo GT-15 - educação especial da anped: desvelando pistas. Rev. bras. educ. Espec., vol.17, n.spe1, 77-92.

Martins, S. Eli. S. de O.; Leite, L. P. (2012). Fundamentos e estratégias pedagógicas inclusivas: respostas às diferenças na escola. São Paulo: Cultura Acadêmica, Marília: Oficina Universitária.

Mendes, E. G. (2002). Impasses atuais na formação inicial do professor de educação especial. Mimeo.

Michels, M. H.(2011). O que há de novo na formação de professores para a Educação Especial? Rev. Educ. Espec., Santa Maria, v. 24, n. 40, 219-232, maio/ago.

Netto, C., y Giraffa, L. (2015). Evaluación de la calidad de los cursos de pregrado distancia en contexto de Brasil. RIED. Revista Iberoamericana de educación a Distancia, volumen 18, n1, 91-108.

Nóvoa, A. et al. (2011). Pesquisa em educação como processo dinâmico, aberto e imaginativo: uma entrevista com António Nóvoa. Educ. Real., vol.36, n.02, 533-543.

Oliveira, L. de F. M. (2006). Apoio pedagógico, ação coletiva e diálogo: tramas da formação continuada em educação inclusiva. Tese de doutorado, Natal – RN.

Orth, M. A.; Mangan, P. K. V. and Sarmento, D. F. (2011). Formação continuada de professores em informática na Educação Especial: análise de dissertações e teses. Rev. bras. educ. espec., vol.17, n.3, 497-516.

Patto, M. H. S. (2013). O ensino a distância e a falência da educação. Educ. Pesqui., vol.39, n.2, 303-318.

Plestch, M. D. (2009). A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes políticas e resultados de pesquisas. Educ. rev., n.33, 143-156.

Pretto, N. de L. (2002). Formação de professores exige rede! Rev. Bras. Educ., n.20, 121-131.

Rodrigues, L. M. B. da C. and Capellini, V. L. M. F. (2012). Educação a Distância e formação continuada do professor. Rev. bras. educ. espec., vol.18, n.4, 615-628.

Rodrigues, D. e Lima-Rodrigues, L. (2011). Formação de professores e inclusão: como se reformam os reformadores? Educ. rev., n.41, 41-60.

Silva, E. (2009). Formação de professores em educação especial: a experiência da UNESP – Campus de Marília. 116 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduacao em Educação, Universidade Estadual Paulista, Marília, São Paulo.

Souza, D. T. R. de. (2006). Formação continuada de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência. Educ. Pesqui, vol.32, n.3, 477-492.

Toschi, M. S. and Rodrigues, M. E. de C. (2003). Infovias e educação. Educ. Pesqui., vol.29, n.2, 313-326.

UNESCO. (1990). Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem Jomtien., recuperado de http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf.

________.(1994). Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien. Recuperado de http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf.

Vetromille-Castro, R. (2008). Considerações sobre grupos em ambientes virtuais de aprendizagem como sistemas complexos. Rev. bras. linguist. Apl., vol.8, n.1, 211-234.




DOI: http://dx.doi.org/10.5944/ried.18.2.13441

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




RIED. Revista Iboeroamericana de Educación a Distancia
(La Revista Iberoamericana de la Educación Digital)

 
Director/Editor : Lorenzo García Aretio
UNED, Facultad de Educación
C/ Juan del Rosal, 14
28040 Madrid (Spain).
ried@edu.uned.es 
ISSN :1138-2783
E-ISSN : 1390-3306
Depósito Legal : M- 36.279 -1997
Edita: Asociación Iberoamericana de Educación Superior a Distancia (AIESAD
)    

Reconocimiento NoComercial (by-nc): Se permite la generación de obras derivadas siempre que no se haga un uso comercial. Tampoco se puede utilizar la obra original con finalidades comerciales.
SÍGUENOS EN:

https://2.bp.blogspot.com/-wtzwURZeg6I/V_y8vM5DmdI/AAAAAAABKKQ/y_fW6U2dW3cOLG6z-tUwJ9u1Pwt9ltXHACLcB/s320/blogger_b_logo.jpg   https://4.bp.blogspot.com/-Q3lAzaCezXA/V_TZ0BTuIkI/AAAAAAABKF4/wP8QRQVCPiQnk0sE7nEDnZHY5F03AOjbgCLcB/s200/twitrer_120%2B%25281%2529.jpg  https://4.bp.blogspot.com/-4So1RLxqN7Q/VHMWABdXX9I/AAAAAAAAb4E/mV00Ac5Gm-Q/s1600/fb_icon_325x325.png    https://1.bp.blogspot.com/-S7ecZmnt3os/Vzmf77J7EfI/AAAAAAABEYc/g3MJ_0z_noUtAiLS7MRRHXgzOkGbZbfUACLcB/s200/scholar_logo_lg_2011.gif 
 

Colaboran con RIED:

https://2.bp.blogspot.com/-VKcDNIR3Sqk/V_aPanb6P0I/AAAAAAABKIA/XSdUeendX2wJ_afKOCIIkxkZjW0ZnT0vACLcB/s320/logoCUED.jpg       https://3.bp.blogspot.com/-wxw5W-VCRGA/WAnp69yeyuI/AAAAAAABKgo/LHi490KturcyZQE7KnlK2ZT9taWEUXkgQCLcB/s320/logo-AM2.01.png