A recepção de Ludovico Ariosto e Torquato Tasso na épica feminina portuguesa: as epopeias de Soror Maria de Mesquita Pimentel

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.5944/rei.vol.9.2021.30522

Palabras clave:

Escrita das mulheres, Epopeias religiosas, Literatura conventual feminina, Poesia épica de autoria feminina, Idade Moderna

Resumen

O presente artigo tem como objetivo avaliar a dívida que a poesia épica conventual feminina portuguesa contrai em relação a poesia épica produzida em Itália, nomeadamente com os poemas de Ludovico Ariosto e de Torquato Tasso. Nesse sentido, pretende-se demonstrar como os poemas épico-bíblicos de Soror Maria de Mesquita Pimentel, isto é, o Memorial da Infância de Cristo (1639), o Memorial dos Milagres de Cristo (editado em 2014) e o Memorial da Paixão de Cristo (inédito), reflete e dialoga com o Orlando Furioso e a Gerusalemme Liberata. Conclui-se que os poemas de Soror Mesquita Pimentel estabelecem com estes poemas italianos relações intertextuais que corroboram o quão fecunda foi a fortuna de Ariosto e Tasso em Portugal, a ponto de serem conhecidos entre os muros da clausura feminina.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Geise Kelly Teixeira da Silva, Centro de Investigação Transdisciplinar "Cultura, Espaço e Memória"

Doutora em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal). Possui licenciatura em Letras, com habilitação em Língua Portuguesa, pela Univerdidade do Estado do Rio Grande do Norte e mestrado em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atualmente é investigadora integrada do CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar "Cultura, Espaço e Memória" -, vinculada ao Grupo de Investigação "Sociabilidades e Práticas Religiosas.

Publicado

2022-01-05

Cómo citar

Teixeira da Silva, G. K. (2022). A recepção de Ludovico Ariosto e Torquato Tasso na épica feminina portuguesa: as epopeias de Soror Maria de Mesquita Pimentel. Revista De Escritoras Ibéricas, 9, 215–240. https://doi.org/10.5944/rei.vol.9.2021.30522