Decolonial view for the category of “economic refugees”

Julia Castro John, Renato Duro Dias

Abstract


The present research is based on the theoretical perspective of decoloniality, to understand the analytical and juridical category named "economic refugee", through bibliographical review and empirical research. It is concluded that the migratory wave existing in Brazil can not be observed from a single category, given the complexity of the phenomenon and diversity of the subjects under analysis. They are economic refugees in some cases and social migration in others, but in general, they are workers in search of better living conditions, who end up finding in the informal/precarious work in Brazil a way of sustenance of their families.


Keywords


economic refugees; social migrants; immigration

References


Alarcón, P. J. L. (2011). Valores constitucionais e Lei 9.474 de 1997. Reflexões sobre a dignidade humana, a tolerância e a solidariedade como fundamentos constitucionais da proteção e integração dos refugiados no Brasil. In: ANCUR 60 anos de ACNUR : perspectivas de futuro . São Paulo: Editora CL: A cultural.

Bonassi, M. (2000). Canta, América sem fronteiras. São Paulo: Loyola.

Braido, J. F. (2015). Las Causas de la emigración en América desde la pespectiva de la Iglesia.

Constituição de República Federativa do Brasil. (1988). Brasília: Brasil.

Godoy, G. G. de. (2011). O caso dos haitianos no Brasil e a via da proteção humanitária complementar. 60 anos de ACNUR: perspectivas de futuro. São Paulo: CLA Cultural.

Gomes, C. P. (2003). Os Estudos de Imigração: sobre algumas implicações políticas do Método”. In: Helion Povoa Neto & Almir Pacelli Ferreira. Cruzando fronteiras disciplinares: panorama dos estudos migratórios. Rio de Janeiro: Faperj.

Lefèvre, F.; Lefèvre, A. M. C; Teixeira, J. J. V. (2000). O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS.

LEI Nº 6.815. (1980). Brasília, Brasil.

LEI Nº 9.474, (1997). Brasília, Brasil.

Martins, J. S. (2012). A Sociedade vista do Abismo. Petrópolis: Vozes.

Reis, R. (2004). Soberania, direitos humanos e migrações internacionais. Revista Brasileira de Ciências Sociais. 19(55).

Rocha, M. M. (2015). Mobilidade Forçada – a economia política dos deslocamentos humanos.

Saladini, A. P. S. (2011). Trabalho e imigraçao: os direitos sociais do trabalhador imigrante sob a perspectiva dos direitos fundamentais. Jacarezinho: Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP.

Scalabrini, J. B. (1979). A emigração italiana na América. Centro de Estudos de Pastoral Migratória: Caxias do Sul, s/e.

Sepmov. (2003). La movilidad humana en América Latina y el Caribe. Bogotá: Esfera Editores Ltda.

Silva, S. A. (2012). Aqui começa o Brasil: haitianos na tríplice fronteira e Manaus. In: S. A. Silva (Org). Migrações na Pan-Amazônia: fluxos, fronteiras e processos socioculturais. São Paulo: Hucitec.

Sousa, M., & Bento, L. (2013). Refugiados econômicos e a questão do direito ao desenvolvimento. Cosmopolitan Law Journal / Revista de Direito Cosmopolita, 1(1), 25.

Spivak, G. C. (2010). Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: UFMG.

Zamberlam, J. (2004). O processo migratório no Brasil e os desafios da mobilidade humana na globalização. Porto Alegre: Pallotti.

Zamberlam, J. (2013). Imigrante - A Fronteira da documentação e o difícil acesso às políticas públicas em Porto Alegre. Porto Alegre: Solidus.




DOI: https://doi.org/10.5944/reec.35.2020.25241

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Copyright (c) 2020 Revista Española de Educación Comparada

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Revista Española de Educación Comparada (REEC)

Faculty of Education. UNED. 
c/ Juan del Rosal, 14
28040 - MADRID (Spain) 
Phone number: +34 654 73 1122
E-mail: reec@edu.uned.es

 

 



ISSN (printed version): 1137-8654
ISSN (electronic version): 2174-5382
Legal Deposit: M.38499-1995